Assista nossos Programas

quarta-feira, 11 de janeiro de 2017

Chile projeta Brasil como segundo maior importador de salmão fresco chileno

Igal Neiman
Segundo Igal Neiman, presidente do Comitê de Produtores que fomenta a campanha “Salmón de Chile”, o aumento do consumo do salmão entre os brasileiros está relacionado a fatores que vão além do crescimento econômico do país

Segundo dados levantados pela InfoTrade, em 2010 o Chile enviou ao Brasil uma quantidade de salmão equivalente a US$ 247 milhões. Deste total, 74% dos envios (equivalente a US$ 184 milhões) foram de salmão fresco. Avançando para 2015, os rendimentos do “gigante” latino-americano seguiram em crescimento, alcançando US$ 407 milhões, dos quais 85% equivaleram à venda do produto fresco. Diante dos números positivos, a pergunta inevitável é: O que teria ocasionado o posicionamento do mercado brasileiro como o terceiro maior importador deste produto aquícola chileno (13,6% em 2015) e o segundo na categoria de importação do pescado fresco (30% em 2015)?

Algumas das razões para que o Brasil tenha conquistado um lugar de destaque entre os grandes consumidores do salmão no mundo se relacionam aos bons resultados da economia brasileira, até o ano de 2014, quando o PIB do país chegou a US$ 2,07 trilhões, equivalente a US$ 10.238 por pessoa, refletindo uma redução significativa nas taxas de pobreza, que chegaram a 39% em 1999 e, 10 anos depois, caíram para 23%.

“O aumento do consumo de salmão chileno, no entanto, não pode ser relacionado exclusivamente ao crescimento econômico”, aponta Igal Neiman, gerente de Planejamento, Marketing e TI da companhia pesqueira Camanchaca. Há um ano, o executivo assumiu o cargo da presidência do Comitê de Produtores responsável pela campanha “Salmón de Chile”, iniciativa criada em 2011 e cujo principal objetivo era promover o consumo do salmão chileno e difundir as qualidades do produto em cidades do Brasil: São Paulo e Rio de Janeiro, primordialmente.

"Se compararmos o Brasil aos principais consumidores de salmão do mundo, este país é, de longe, o que cresce mais rápido. Em 2010, o Brasil ocupava o 12º lugar entre os maiores consumidores do produto fresco, com 26 mil toneladas ao ano, de acordo com as estatísticas WFE. Em cinco anos, ele se tornou o quarto maior consumidor mundial de salmão fresco, com 91 mil toneladas (WFE) e crescimento médio anual de 28% entre 2010 e 2015. O mais exponencial aumento registrado entre os doze maiores consumidores do mundo. Estes resultados estão diretamente relacionados aos esforços desta campanha", afirma Neuman.

Ainda de acordo com o presidente, os números favoráveis só têm sido possíveis porque a estratégia promocional desenvolvida trouxenovo fôlego ao setor e possibilitou colher frutos admiráveis, refletidos no índice de 30% de reconhecimento da marca pelo consumidor brasileiro."Temos notado uma mudança gradual no hábito do consumo de salmão nos lares brasileiros, graças àsdegustações que realizamos regularmente em várias cadeias de supermercados. Esta ação nos permitiu aumentar nossa presença e promover o consumo do produto entre os consumidores finais. Atualmente, é muito comum encontrar salmão em todos os tipos de restaurantes, sendo que há alguns anos o pescado só era encontrado em restaurantes japoneses", comenta o porta-voz da campanha.

Ele ainda acrescenta que este ano estão sendo promovidas diversas apresentações a meios de comunicação e formadores de opinião no Brasil, em que são abordados, entre outros temas, os dez mitos sobre a produção do salmão chileno, para esclarecer, por exemplo, que a indústria investe em parcerias com comunidades locais e que o uso dos antibióticos acontece apenas com a devida prescrição médica e muito antes do período da colheita, assegurando que o produto final chegue ao consumidor saudável e seguro. “Percebemos que o retorno nestas atividades é muito positivo, porque abordamos assuntos pouco discutidos e conseguimos esclarecer dúvidas recorrentes destes jornalistas de veículos de alta credibilidade”, conclui Neiman, que também destaca o trabalho realizado nestes eventos pela gerente da Salmón de Chile, Melanie Whatmore, e pelo gerente da Associação da Indústria do Salmão do Chile A.G (SalmonChile), Felipe Manterola.


PRÓXIMOS PASSOS

Além de reforçar a importância destas estratégias de aproximação com o público final e com a imprensa especializada, que, dentre outros resultados, ajudaram a alavancar para mais de 500 mil o número de seguidores da página da Salmón de Chile no Facebook, o representante da Camanchaca também explicou que a curto e médio prazo as ações seguirão tendo como foco São Paulo e Rio de Janeiro, com a incorporação de novas cadeias de supermercados destas regiões à campanha e a participação em diferentes eventos que permitam à Salmón de Chile continuar este movimento de expansão e consolidação como uma das mais importantes associações da indústria de salmonicultura, principalmente, por suas vantagens competitivas exclusivas, como a oferta de salmão fresco terrestre e baixos custos de logística.


Salmón de Chile
De uma parceria entre ProChile – Direção de Promoção de Exportações, órgão vinculado ao Ministério de Relações Exteriores do Chile – e a indústria de salmão chilena, nasce, em 2012, a associação Salmón de Chile, idealizada para promover e potencializar o consumo do salmão no mundo. O Brasil foi o país escolhido para o início de suas ações por ser o mercado com melhores projeções para a venda do produto sendo, atualmente, o terceiro mais importante para a indústria. A associação tem como principal objetivo tornar o consumo de salmão um verdadeiro estilo de vida para seus consumidores. http://www.salmondechile.com/pt


segunda-feira, 9 de janeiro de 2017

Educação registra aumento de 51% no uso de nome social por alunos de SP



Enquanto em setembro de 2015 eram 182 cadastros, em 2016 o número subiu para 358 estudantes travestis e transexuais que optaram pelo uso do nome social

Levantamento da Secretaria da Educação do Estado aponta que até setembro de 2016, 358 estudantes travestis ou transexuais solicitaram o uso do nome social em suas escolas. O número é 51% superior ao mesmo período em 2015, quando eram 182. A adoção é um direito garantido a alunos e servidores da rede estadual de ensino de São Paulo. Até o período, 17 profissionais também solicitaram a inclusão da nomenclatura pelo gênero que se reconhecem.

Entre 358 estudantes que já usam o nome social, 77% são mulheres travestis e transexuais e outros 23% são homens transexuais. A maioria está matriculada na Educação de Jovens e Adultos (66%) e outros 34% estão no Ensino Fundamental ou Médio. Separados por idade, 23% são menores de 18 anos.

Para pedir a inclusão do nome social, basta requerer à escola a qualquer tempo, em qualquer período do ano. A unidade tem até sete dias para incluir o nome social no sistema de cadastro de alunos. Os documentos válidos são de circulação interna – lista de chamada, carteirinha de estudante e boletim. Os demais continuam com o nome de batismo do estudante. Já para os profissionais da Educação o pedido deve ser feito diretamente na escola ou Diretoria de Ensino que atuam.

“As ações desenvolvidas pela Secretaria da Educação para travestis e mulheres e homens transexuais buscam garantir o reconhecimento da identidade de gênero e assegurar uma educação pública equânime e de qualidade. Isso pode ser identificado na ampliação dos direitos como a instituição do uso do nome social, nos investimentos na formação dos recursos humanos e na produção de subsídios pedagógicos”, afirma Thiago Sabatine, professor responsável pela Equipe Técnica de Educação para a Diversidade Sexual e de Gênero da Coordenadoria de Gestão da Educação Básica.

terça-feira, 27 de setembro de 2016

BIG BAND SÊNIOR TOCA NO TRIBUNAL DE JUSTIÇA EM 29/9

Por: Claudia Souza
Foto: Claudia Souza - Big Band Sênior no Teatro Olido em agosto/2016


O show de lançamento da Big Band Sênior será dia 29/9 - quinta-feira, às 20 horas no Teatro do Tribunal de Justiça de São Paulo.

Composta por 18 músicos com mais de 50 anos de idade e 20 anos de carreira, a Big Band Sênior incorpora o projeto da UPARS - União Paulista dos Artistas Sêniores, fundada pelo Maestro e pianista Adylson Godoy.

A associação, sem fins lucrativos, inicia seu projeto com a primeira Orquestra, com músicos afiliados e terá por objetivo criar mecanismos de incentivos e proporcionar trabalho e renda para músicos e cantores com o perfil citado.

Ainda no começo, em fase de adaptação às exigências burocráticas, pretende conseguir apoio de verbas governamentais para alavancar o projeto, ainda embrião, em funcionamento provisório no espaço cedido pela Ordem dos Músicos do Brasil, Conselho Regional do Estado de São Paulo, aonde os músicos da orquestra se encontram, organizam, debatem e ensaiam o repertório da Big Band Sênior.

Sob direção musical de Adylson Godoy, regência do trombonista Renato Farias e produção de Marcelo Fontanesi, a Big Bnd Sênior é composta por cinco saxofonistas, quatro trombonistas, quatro trompetistas, um pianista, um baixista, um baterista, um guitarrista e um percussionista. No palco, os dezoito músicos, contam ao grande público “A História das Big Bands”, reproduzindo um amplo repertório dos anos 40 até a atualidade, apresentando obras de Duke Ellington, Count Basie, Tommy Dorsey, Stan Keaton, Glenn Miller, Benny Goodman, Banda Tabajara, Silvio Mazzuca, Elcio Alvares e Luís Arruda Paes, entre outros.

Vídeo institucional:


Este show que abre o Projeto Arte e Cultura no Tribunal de Justiça, sob a supervisão do Desembargador Sidney Romano dos Reis, é destinado a magistrados, servidores e ao público em geral e a entrada é franca. Por medidas de segurança, os interessados em assistir o show devem se inscrever no e-mail: artenotj@tjsp.jus.br.

Serviço:

Local: Auditório do Gade MMDC (Avenida Ipiranga, 165).
(Antigo Hilton Hotel - Metrô República).
Dia e Horário: 29/9, às 20 horas.
Entrada franca

domingo, 18 de setembro de 2016

Temer ratifica Acordo de Paris, que estabelece metas para a redução de gases de efeito estufa‏




O presidente da República, Michel Temer, ratificou na manhã desta segunda-feira (12) o Acordo de Paris, tratado internacional que prevê metas conjuntas dos países na busca pela redução do aquecimento global. Com a assinatura do documento, realizada em cerimônia no Palácio do Planalto que contou com a presença de ministros de Estado e de ambientalistas de organizações não governamentais (ONGs), o governo federal se compromete a reduzir a emissão de gases de efeito estufa em 37%, até 2025, e em 43%, até 2030 – tendo como parâmetro as emissões registradas pelo País em 2005.

Durante a cerimônia, Michel Temer enfatizou o fato de o meio ambiente estar contemplado na Constituição de 1988, com um capítulo específico sobre o tema. “Esta é uma política de Estado determinada pela soberania popular. Portanto, a obrigação dos governos é exata e precisamente obedecer àquilo que a Constituição Federal determina.”

segunda-feira, 5 de setembro de 2016

BANDA BIG BAND SÊNIOR COMPOSTA POR MÚSICOS ACIMA DE 50 ANOS ESTREIA 08 DE SETEMBRO



Inspirada nas Big Bands dos anos dourados, a Big Band Sênior está saindo do forno para se apresentar no Teatro Olido e no Auditório do Tribunal de Justiça - SP, inaugurando a iniciativa da UPARS – União Paulista dos Artistas Sêniores, que foi criada para incentivar mecanismos geradores de oportunidades para músicos com mais de 50 anos de idade e 20 anos de carreira.

O projeto com quase dois anos, tem como idealizador o Maestro e pianista Adylson Godoy. A ideia surgiu em uma conversa informal com o contrabaixista Amador Bueno, quando comentavam sobre a falta de políticas públicas para favorecerem os músicos profissionais, principalmente na área da música instrumental, pouco contemplada por patrocínios.

Não demorou muito e a UPARS foi fundada, tendo no casting inaugural, a Big Band Sênior, composta por 36 músicos renomados, da mais alta qualidade, dos quais, metade são intercalados entre as apresentações, aonde o caçula completou este ano 50 anos e o mais velho está com 90 anos de idade.

Composta por 5 saxofonistas, 4 trombonistas, 4 trompetistas, 1 pianista, 1 baixista, 1 baterista, 1 guitarrista e 1 percussionista; os 18 músicos juntos, contam ao grande público “A História das Big Bands” reproduzindo um amplo repertório dos anos 40 até a atualidade, que remonta Duke Ellington; Count Basie; Tommy Dorsey; Stan Keaton; Glenn Miller; Benny Goodman; Banda Tabajara; Silvio Mazzuca; Elcio Alvares, Luis Arruda Paes, entre outros.

A estreia tem por objetivo, documentar o trabalho que está sendo ensaiado há um ano aproximadamente nos bastidores do auditório da Ordem dos Músicos do Brasil, que cedeu gentilmente o espaço, para que os músicos desenvolvessem a Orquestra, reuniões, bem como a fundação da UPARS – União Paulista dos Artistas Seniores, que já está constituída, avançando do estado embrionário de associação, para constituição de uma OSCIP, que terá por objetivo, criar projetos de leis favoráveis aos músicos associados e captação de recursos governamentais a fim de fomentar os fazedores de cultura que estão atingindo a “melhor idade” e que em maioria não desfrutam de nenhuma política pública em detrimento de sua alta capacidade de realização.

“A Big Band Sênior é a prova de que o bom músico não tem data de validade e possui além da experiência, grande poder e força de vontade. Eles só precisam de um bom palco, condições técnicas e incentivo financeiro para mostrarem o seu melhor e contribuírem com a arte e a cultura musical de nosso país”. Disse Adylson Godoy, fundador da UPARS.

Através da UPARS, a Orquestra já está com o projeto aprovado pela Lei Rouanet (PRONAC nº 1410552, artigo 18) e em busca de captação de recursos.

Os músicos e cantores interessados em participarem da UPARS, podem se associarem gratuitamente no blog provisório http://upars.blogspot.com.br/p/associe-se-gratis.html para receberem informações de projetos futuramente criados para cada perfil de trabalho.


Próximas apresentações:

Dia 08/08 – 20 hs
Teatro Olido
Av. São João, 473 – Centro – São Paulo – SP
Entrada Franca
(Chegar 1 hora antes para retirar ingresso).

Dia 29/9 – 20 hs

Auditório do Tribunal de Justiça
(Antigo Hilton Hotel)
Av. Ipiranga, 165 – República – Centro – SP
Entrada Franca

terça-feira, 23 de agosto de 2016

Mais atenção aos jovens negros brasileiros

*Desembargadora Luislinda Valois

Costumamos dizer que os jovens são o futuro do País. Mas se queremos realmente chegar lá, precisamos aqui e agora investir neles, pois é no presente que temos a oportunidade de fazer florescer todo o seu potencial de transformação, todo a sua criatividade e dinamismo, rumo a uma concepção de mundo mais igualitária.

Neste momento em que acabamos de realizar as Olimpíadas no Brasil, temos a grata satisfação de constatar que – por meio do esporte – muitos negros conseguiram romper a barreira da invisibilidade, da falta de perspectiva e do preconceito. Mas os Pelés, os Joões do Pulo, as Daianes dos Santos e as Rafaelas Silva – só para citar alguns brasileiros - ainda são poucos. Temos capacidade para muito mais. Não podemos nos contentar com o êxito de alguns poucos negros, que infelizmente ainda representam uma exceção, uma “cota” em nosso país. Não podemos nos resignar à naturalização da desigualdade.

Atualmente, o mundo registra a maior população de jovens de toda a história,1,8 bilhão de pessoas. No Brasil, são mais de 50 milhões de jovens que carregam dentro de si o poder das mudanças para a construção de um País melhor. Por isso, temos a grande responsabilidade, neste momento, de oferecer aos nossos jovens instrumentos que os capacitem a exercer todas as suas habilidades e competências, desviando-os dos caminhos da miséria, do analfabetismo, da violência, das drogas e da morte prematura, e assegurando-lhes caminhos seguros de crescimento, formação e ascensão social e profissional.

Com essa perspectiva de futuro em nossas mãos, não é aceitável que na história recente do nosso país cerca de 30 mil jovens sejam assassinados por ano e, destes, 77% sejam negros; não é aceitável que cerca de 20% dos jovens não estudem nem trabalhem e, destes, 63% sejam negros e/ou mulheres. Esses índices expõem a dura desigualdade que ainda experimentamos em todos os aspectos da vida social. Temos mecanismos para mudar isso, seja pela educação, pela formação profissional, seja pelo esporte.

Nesse contexto, que as vitórias dos nossos atletas negros sirvam de exemplo para a juventude preta, pobre, da periferia e para toda a juventude brasileira, mas que seu sucesso não sirva para esconder a infinita desigualdade que ainda precisamos superar.

*Secretária Especial de Políticas de Promoção da Igualdade Racial
Ministério da Justiça e Cidadania

segunda-feira, 15 de agosto de 2016

Conheça os tipos de eventos corporativos

Apesar de não serem iguais nos seus objetivos, eventos corporativos possuem características semelhantes e costumam confundir na hora da escolha. Cada tipo de reunião requer medidas específicas e organizações diferentes entre si, necessárias para garantir a presença dos convidados e os resultados alcançados.

Para isso, é importante conhecer os principais tipos de eventos corporativos, descritos logo abaixo. A partir disso, é certo que terá êxito desde o planejamento até a sua execução.


Conferência

Exposição realizada por uma autoridade/especialista em determinado assunto e direcionada para um público grande. É um evento mais formal, que conta com a presença de um presidente de mesa para conduzir a apresentação. As perguntas são feitas somente por escrito e identificadas no final da apresentação.


Convenção


Reunião de profissionais da mesma empresa ou da mesma área. As convenções podem ser de diversos exemplos como vendas, comemorações ou lançamento de produto. Há o debate entre duas pessoas que estão à frente do evento, dispostas a defender um ponto de vista sobre determinado assunto. O público, no caso, apenas assiste a discussão e não interage com os oradores.


Fórum

É baseado na participação da plateia, geralmente formada por um grande número de pessoas. Um coordenador coloca o tema de interesse geral em pauta e busca a opinião do público. O debate no fórum é discorrido livremente até que haja conclusões a respeito.


Palestra

É o tipo de evento mais comum. São apresentadas questões sobre um determinado assunto e depois abre-se espaço para perguntas e debates com a plateia. É possível ter exercícios de laboratório ou demonstrações, dependendo do tema discutido.

Simpósio

É uma reunião de especialistas renomados para apresentação de um tema direcionado a um público específico. Sob a direção de um coordenador, os profissionais discorrem sobre determinado assunto e posteriormente debatem entre si. A participação do público é apenas no final, com perguntas escritas e identificadas, de caráter adicional.

Seminário

Com o objetivo de compartilhar experiências e informações, é uma sequência de atividades que desenvolvem conhecimentos e capacidades e por meio de instrutores especializados. No seminário não é necessário obter resultados sobre determinado tema. Sua duração varia de um dia até várias semanas.

Sobre o espaço Jacyra Sanches

Situado na cidade de São Paulo, o espaço Jacyra Sanches atua desde 2007, sempre atendendo às necessidades de cada cliente como se fosse único. Aqui, o evento corporativo tem sempre uma atenção especial. Oferece espaços diferenciados para eventos, palestras, workshops e treinamentos. São 11 salas de diversas dimensões e possibilidades, que comportam de 18 a 230 pessoas, tudo para atender melhor a necessidade de cada cliente. As salas foram projetadas com arquitetura moderna e recursos tecnológicos de ponta, como iluminação, sistema de som e projetores para apresentações audiovisuais. A prioridade é proporcionar conforto e total eficiência em cada serviço prestado, sempre investindo em capacitar os colaboradores e proporcionar a melhor experiência possível para o público presente. Além disso, a gastronomia é outro diferencial. Oferece produção própria de alimentos e o cardápio é sempre adaptado para cada evento realizado.


Para mais informações, acesse: http://espacojacyra.com.br/blog/

quarta-feira, 29 de junho de 2016

Temer defende geração de empregos no Paraná‏




O presidente em exercício Michel Temer participou, nesta terça-feira (28), da inauguração da fábrica de celulose da Klabin, maior produtora e exportadora de papéis do Brasil, localizada no município de Ortigueira, no Paraná. Durante entrevista à imprensa, Temer destacou que o novo empreendimento gera, apenas neste primeiro momento, mais de 1.500 postos de trabalho, além de oferecer trabalho a cerca de 40 mil pessoas durante a construção da fábrica, “o que mostra as potencialidades do Brasil”, ressaltou.

O presidente reforçou também a integração entre o Executivo e o Congresso Nacional, conquistada pelo atual governo, possibilitando a aprovação de projetos relevantes para o País. Entre eles está o projeto que solucionou as dívidas dos estados com a União. “Apenas no Paraná, cerca de R$ 500 milhões serão reinvestidos gerando ainda mais empregos”, argumentou citando, ainda, a limitação dos gastos públicos proposta pelo governo, com emenda constitucional já encaminhada ao Congresso.


www.baladadafada.com.br
facebook/baladadafada

sexta-feira, 24 de junho de 2016

Laudo aponta velocidade excessiva e falha nos freios do ônibus que se acidentou na Mogi-Bertioga

O secretário da Segurança Pública, Mágino Alves Barbosa Filho, anunciou que o laudo da perícia realizada nas peças do ônibus acidentado na rodovia Mogi-Bertioga, no dia 8, apontou que o veículo trafegava em velocidade acima da permitida na via, além de possuir deficiência na frenagem. A divulgação do resultado do laudo foi feita durante coletiva sobre as estatísticas de criminalidade de maio, realizada na tarde desta sexta-feira (24).

“A conclusão é que o veículo trafegava numa velocidade acima da máxima permitida na via e que o exame dos freios do veículo concluiu que ele apresentava deficiência na frenagem devido ao desgaste excessivo dos tambores dos freios dianteiros, que deveriam ter sido substituídos por novos, demonstrando manutenção inadequada do veículo”, divulgou o secretário.

O laudo da perícia foi elaborado pelo Núcleo de Física do Instituto de Criminalística (IC). Mágino explicou que a conclusão do exame permite constatar que houve falha mecânica no freio e que o excesso de velocidade apontado pode ter sido decorrente dessa falha ou, então, que o motorista já dirigia em velocidade excessiva e, depois, ainda houve a deficiência do freio.

O secretário comentou que a investigação ainda prossegue pela Delegacia de Polícia de Bertioga, que irá apurar quem era o responsável pela manutenção mecânica do veículo, além de verificar o indiciamento dos envolvidos. “Há uma responsabilidade clara. O laudo aponta falta de manutenção e alguém, obviamente, era o responsável por essa manutenção”, disse Mágino.

Vítimas e testemunhas estão sendo ouvidas no inquérito policial que investiga a causa do acidente, no qual morreram 18 pessoas.

segunda-feira, 20 de junho de 2016

Aplicativo móvel aproxima cidadão do Tribunal de Contas da União

O Tribunal de Contas da União (TCU) lançou, no dia 15 de junho, o aplicativo móvel #EuFiscalizo, disponível parasmartphones e tablets. Com ele, o cidadão poderá enviar para o TCU sua manifestação em tempo real, de onde estiver, e contribuir, assim, com a fiscalização dos recursos públicos provenientes da União.

Colaborar com a fiscalização dos recursos públicos, por meio desse aplicativo, é bastante simples. Depois de baixar o aplicativo – o que poderá ser feito a partir da página <www.tcu.gov.br/app> ou, ainda, pelas lojas App Store ou Google Play – o cidadão poderá se cadastrar, entrar anônimo ou fazer autentificação pelo Facebook para ter acesso às funcionalidades.

Ao acessar a opção “Quero me manifestar”, o cidadão poderá selecionar uma categoria, escrever um título e sua mensagem, bem como adicionar evidências por meio de fotos georreferenciadas e arquivos em PDF. Após o envio, o cidadão acompanhará em “Minhas manifestações” o andamento da sua mensagem, podendo, inclusive, adicionar mais evidências e informações.

Segundo o presidente do Tribunal, ministro Aroldo Cedraz, o aplicativo assegura um contato ainda mais próximo do TCU com o cidadão, estreita oportunidades de comunicação e inova no sentido de oferecer meios e instrumentos mais modernos de interatividade. “Com o aplicativo #EuFiscalizo, o cidadão exerce na prática o controle social e pode fazer isso de um modo muito prático e cômodo, basta que tenha em suas mãos um smartphone ou tablet com o aplicativo instalado”, reforça Cedraz.

A possibilidade de envio de mensagem do cidadão para o TCU não é a única funcionalidade que o aplicativo móvel #EuFiscalizo oferece. É possível acessar vídeos sobre fiscalizações já realizadas, tirar dúvidas frequentes sobre a atuação do TCU e visualizar mapa interativo que permite localizar a unidade do TCU mais próxima. Há a opção, ainda, de acessar informações separadas por categorias. “A ideia é que o aplicativo forneça ainda mais informações e meios ao cidadão para que ele colabore com a fiscalização dos recursos públicos”, assegura o presidente do TCU.

Mais canais de interação com a sociedade – Além do aplicativo #EuFiscalizo, o cidadão que deseja auxiliar o TCU na fiscalização dos recursos públicos, pode registrar comunicações de irregularidade e outras manifestações – como dúvidas, sugestões, elogios, críticas, solicitações e reclamações – por meio da Ouvidoria do Tribunal, que está disponível no portal do TCU na internet <www.tcu.gov.br> ou no telefone 0800-6441500. As manifestações serão analisadas pelo tribunal e encaminhadas às unidades competentes do tribunal para averiguação e eventuais providências.

Outros aplicativos – Além do #EuFiscalizo (que ocupa cerca de 8 Mb de espaço em disco), o TCU dispõe de outros aplicativos, entre eles: Sessões, Vista Processual, Publicações de Jurisprudência, Plano de Controle e Contas de Governo 2014. Os aplicativos são compatíveis com os sistemas operacionais Android 2.2 a 6.0 ou IOS 6 a 9 e podem ser baixados a partir da página <www.tcu.gov.br/app> ou, ainda, pelas lojas App Store ou Google Play. Basta pesquisar pelo termo TCU. Os aplicativos oficiais do TCU são facilmente identificados pelo nome do desenvolvedor-fornecedor: Tribunal de Contas da União.